Logotipo | Garagem de Bolso
Garagem de Bolso Notícias Automotivas
HR-V Touring 2020 aposta tudo no poder da marca Honda, mas alto preço pode (e deve) jogar estratégia pelo ralo
HR-V Touring 2020 aposta tudo no poder da marca Honda, mas alto preço pode (e deve) jogar estratégia pelo ralo

HR-V Touring 2020 aposta tudo no poder da marca Honda, mas alto preço pode (e deve) jogar estratégia pelo ralo

por Emerson Lemes Santos

Falta pouco para que a versão 2020 do Honda HR-V Touring chegue as concessionárias, o que deve ocorrer na segunda semana de junho. Inicialmente, o produto tem tudo para ser sucesso de vendas, a combinação parece perfeita - Brasil, SUV, Honda e motor turbo...
Ah, o tal do detalhe... No futebol também conhecido como o "último passe", no mundo automotivo, o detalhe responde por preço, e o HR-V Touring 2020 atende pelo chamado de R$ 139,9 mil.

A aposta da montadora é atrair o público do Jeep Compass, ele representa 57,4% das vendas da Jeep no Brasil e é o líder absoluto da categoria.

Então, porque um amante do Compass o trocaria pelo HR-V Touring 2020?

Pensando nessa resposta, a Honda preparou um carro mais requintado, com motor 1.5 turbo a gasolina com 173 cavalos, faróis totalmente em LEDs com acendimento automático e o sistema Lane Watch Assist, que utiliza uma câmera na base do retrovisor direito. Apontada para trás, ela projeta sua imagem na tela ao centro do painel e amplia em 20 graus o ângulo de visão do motorista.

O carro traz também o sistema Agile Handling Assist (AHA), capaz de aumentar a estabilidade e a segurança numa sequência de curvas. Recebe teto solar panorâmico, ar-condicionado digital, airbags laterais e de cortina e aletas para trocas de marcha no volante, que permitem a simulação de sete velocidades na transmissão automática CVT.

Já o Compass, parte de R$ 113.990, equipado com motor 2.0 flex de 159 cavalos.
Enquanto a versão turbodiesel do Compass, com 170 cavalos, e tração 4x4 parte de R$ 156.990 - A diferença de pouco mais de R$ 17 mil entre essa versão e o HR-V Touring 2020, não será obstáculo par muita gente, uma vez que, a médio e longos prazos, a diferença será facilmente recuperada pelos proprietários do Compass turbodiesel.
Só tempo dirá se a Honda acertou ou não com essa estratégia, eu não ousaria apostar!