Logotipo | Garagem de Bolso
Garagem de Bolso Notícias Automotivas
Primeiras impressões de um proprietário novato a bordo de um Subaru, por Denis Peres
Primeiras impressões de um proprietário novato a bordo de um Subaru, por Denis Peres

Primeiras impressões de um proprietário novato a bordo de um Subaru, por Denis Peres

por Emerson Lemes Santos

Pode parecer bobagem pra você, tipo, "pô o cara passou tanto tempo sonhando em comprar um carro de R$ 40k! Meu Subaru WRX custou R$ 170, e já gastei mais de R$ 25k para deixar do jeito de que eu gosto!"

Eu te entendo. Mas observe a minha realidade: sou um pequeno empresário, tenho família, casa, filha na faculdade, tenho que atender aos desejos da galera daqui de casa que quer viajar, ter carro, reformar casa, e eu ainda não abro mão da minha Super Teneré e de viajar com ela, então a brincadeira é cara, tem que ralar! E eu ainda tenho um Del Rey Ghia 88 e uma fuca "miliduque" 1955 para cuidar.
Pensa que é fácil? Muito brinquedo assim pesa.
E ainda por cima nesse país miserável, onde ninguém sabe o que vai ser amanhã com a economia!



Voltando então pra Outback, daqui pra frente só “Tibék”, como ela vem sendo tratada aqui em casa, como falei no meu primeiro post, passou por uma revisão antes de pegar a estrada e vencer os 2.200 km de São Paulo até Busca Vida, onde eu moro aqui na grande Salvador. Enfim, depois de uma longa espera, o grande dia de pegar estrada finalmente chegou, e é nesse momento que eu quero focar.

Deixa eu falar um pouco sobre minha experiência, por que a maioria do grupo é “IMPREZArio” e eu já notei que o forte aqui é a preparação, performance, track day, etc. Tenho 56 anos, 10 anos de Kart profissional, já andei de V-8, Fusca 2.0, Chevette 4.100, XR3 Turbo, e muitas outras bicheiras do passado, e a minha iniciação e aprendizado foi em algo inimaginável pra vocês, que tem menos de 30 anos: Racha! Ralo na rua!! Praça Pan-Americana, Avenida Pedro Bueno, Marginal, Peça do Relógio, locais em que uma fuca 1.6 levava fácil um Maverick V-8 ou um Dojão, e deixava a galera na beira da pista maluca. Depois me mudei para Salvador e "baixei o faxo".

Então... Assim ... ”Antigo eu aceito” (tenho 56 anos), mas “bracinho” não!
Para começar: Eu não sei se você já teve o prazer de tocar um H6, mas se é novato como eu, deixa eu te falar: tem 3 modos de condução: é o SI-Drive - (Intelligent, Sport e Sport Sharp).



É um sistema animal de gerenciamento da central eletrônica, equivalente a três motores dentro de um mesmo carro. Um mapa para cada uma das funções. Você acorda light, passa o dia andando no “I”, economiza combustível, pneu, embreagem, tudo enfim.
No outro dia acorda com o capeta, e já sai da garagem no modo S#. A tiazona vira um demônio. Faz de zero a 100 em 7 segundos (nada mal) e coloca uma porrada de carrinho esporte no chinelo. É assim:

“I” – Inteligente. Distribui a potência de forma mais branda, é Ideal para usar no trânsito pesado, pista molhada, e é o mais econômico. Andando o tempo todo assim o carro chegou a fazer 9 na cidade e 10,8 km/l na estrada, sem nenhum daqueles momentos divertidos. Na manha, tranquilo, só pisando um pouquinho para fazer uma ultrapassagem ou outra, teto solar aberto, manhã de sol, som rolando, sacou? De bem com a vida.

“S” (Sport) – Ela já fica mais divertida e um pouco mais ansiosa. Já dá para brincar, com os Corolla, Focus, todas as SUV´s, HB20 (1.6), Punto Tjet e por aí vai. Respostas rápidas, e mais potência.

Bom, daí você acorda Ayrton Senna, e decide optar pelo “#S” (Sport Sharp), que nós carinhosamente apelidamos de “hashtag Estúpido”
Moleque, o negócio é o seguinte:


O carro vira o cão chupando manga!
Precisa de braço e principalmente aquilo roxo!


Como disse desde o início desse post, sou novato na marca, e o que mais a gente aprende lendo sobre Subaru é que não tem para ninguém nas curvas, né?
Pois bem, é aí que a brincadeira começa!

O cara passa, vê aquela perua de tiozão, grandalhona, com cara de transporte escolar, passa acelerando e pensa, que Subaru porra nenhuma!

De repente ele olha a zorra crescendo no retrovisor, com cara de quem vai passar por cima, e na primeira curva, enquanto ele entra na tangência, a Tibék passa por fora sem tomar conhecimento e, tipo, dá um some no horizonte!
Essa é a graça da parada!



É uma Sleeper! Ninguém dá nada, mas quando o mané desavisado encara, toma pau e nem vê passar porque tá lá brigando com o carro e com a curva.
Quando olha para frente, e finalmente termina a curva, já tá longe!

Daí é só tirar o pé, encostar na direita, voltar para “S” e ficar esperando o otário chegar para ficar admirando a passagem dele, incrédulo com a passada da “tia”!

É isso. Foi assim com muitos que chegaram, viram o logo na tampa da mala e ficaram de palhaçada chamando para brincadeira. Teve um pobre no Espírito Santo, na chegada de Ibiraçu, numa porra de um Punto, que deve tá até agora tentando entender como é que isso foi possível! De noite, pista úmida, e o cara me passa por fora a 160!
É claro que tem carros mais rápidos. Eu sei! Mas a Tibék é originalzinha, caretinha caretinha, nem Pódio usa!

Um Camry, por exemplo, tem 270 CV, lógico que vai andar mais, mas nem sempre tem alguém sentado atrás do volante com tutano pra fazer o negócio funcionar à plenitude! Mas a diversão está no fato de que é “lobo em pele de cordeiro”, se é que você me entende.

Aqui em Salvador eu já vi Tribeca, Impreza e Forester, mas “Tibék” só uma vez uma modelo 2017, mas nunca mais apareceu. Acho que é a única.
O que vai aparecer de mané aqui né brincadeira, e ainda mais porque os caras aqui só sabem acelerar em reta. Aprenderam a fazer pega em provas chamadas de "Quilometro de arranque". Chega uma curvinha e amarelam fácil. Cansei de passar Hayabusa por fora de Super Teneré.

Com a Tibék vai ser engraçado!
Me diverti muito na viagem, e também adorei o consumo que nunca baixou de 9 km/l, mesmo quando acelerei.
Isso tudo com o conforto que ela oferece! Está pensando em pegar uma? Pode pegar. Eu garanto.

Tamo junto!

Opinião real do proprietário, publicada originalmente no grupo do Facebook "Subaru Clube Brasil".
A publicação foi gentilmente autorizada pelo autor.